02/02/2015 Século 21 registra anos mais quentes da história e temperaturas devem aumentar ainda mais, alerta ONU

Século 21 registra anos mais quentes da história e temperaturas devem aumentar ainda mais, alerta ONU

Rua Turiassu alagada em São Paulo. Foto: Flickr/Fernando Stankuns (Creative Commons).

O aumento das temperaturas oceânicas tem contribuído de forma excepcional para tempestades e inundações em muitos países, ao mesmo tempo que provoca extrema seca em outros, explica a OMM.

 

Confirmando previsões, o ano de 2014 entrou para a história como o mais quente já registrado, disse a Organização Meteorológica Mundial (OMM), afirmando que essa classificação não é um fato isolado, mas parte de uma tendência mais ampla de comportamento do clima.

 

A Organização divulgou essa análise no dia 2 de fevereiro (segunda-feira) para servir de apoio às negociações sobre o novo acordo do clima, que acontecerão em Genebra (Suíça) entre 08 e 13 de fevereiro. Esse diálogo ajudará a alcançar o compromisso universal, que deverá ser adotado em dezembro de 2015.

 

“A tendência do aquecimento como um todo é muito mais importante que o ranking individual de um ano”, esclareceu o secretário-geral do OMM, Michel Jarraud, ao explicar que os padrões de temperatura erráticos afligindo nações em todo o planeta são consistentes com o esperado pelas mudanças climáticas.

 

O aumento das temperaturas oceânicas tem contribuído de forma excepcional para tempestades e inundações em muitos países, ao mesmo tempo que provoca extrema seca em outros. Como exemplo, mencionou a precipitação na costa pacífica do Japão, que chegou a 301% acima do normal, a maior desde o registro estatístico em 1946.

 

Ele advertiu que 14 das 15 maiores temperaturas registradas ocorreram no século 21 e alertou que o aquecimento global tende a crescer, dado que a emissão de gases de efeito estufa na atmosfera aumentaram, bem como a temperatura dos oceanos.

 

Cerca de 93% do excesso de energia armazenada na atmosfera por gases de efeito estufa, provenientes de combustíveis fósseis e outras atividades humanas, terminam nos oceanos, explicou Jarraud. Assim como o clima em geral, as temperaturas do oceano chegaram a níveis recordes em 2014, apesar da ausência de efeitos naturais que justificariam esse aumento, como “El Niño”. As altas temperaturas registradas em 1998 – o ano mais quente antes do século 21 – ocorreu em parte por causa desse fenômeno.

Fonte: ONU Brasil.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.