02/04/2018 Municípios do Norte do Paraná são exemplos em Logística Reversa para o país

Municípios do Norte do Paraná são exemplos em Logística Reversa para o país

Foto: Divulgação.

Em uma parceria pioneira com o ILOG e o Governo do Estado, as cidades de Londrina e Maringá possuem centros especializados que já colaboraram com a retirada de toneladas de materiais recicláveis do meio ambiente

 

Imprescindível para a estruturação de um futuro sustentável no universo corporativo, a logística reversa é definida pela Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS como um instrumento de desenvolvimento econômico e social caracterizado por um conjunto de ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial. Esses resíduos passam por um reaproveitamento em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou por uma destinação final ambientalmente adeq uada. O processo é regulamentado no Brasil desde 2010 com a lei nº 12.305 que prevê a redução, reutilização e reciclagem na geração de resíduos e impõe a implementação de sistemas de produção e consumo consciente a fabricantes, importadores, distribuidores e comerciantes.

 

No Paraná, uma parceria entre o Instituto de Logística Reversa – ILOG, governo estadual e municipal e cooperativas de catadores está transformando o interior do Estado do Paraná em uns dos principais polos de logística reversa do Brasil. Em 2016, as cidades de Londrina, que também conta com a participação da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), e Maringá ganharam as pioneiras Centrais de Valorização de Materiais Recicláveis (CVMR), fruto de um investimento de mais de R$ 3 milhões. O poder público foi responsável por ceder locais para a implantação das CVMRs. Já o ILOG, além de auxiliar na administração dos espaços, cedeu toda a infraestrutura para separação, processamento e logística, e capacitou a mão de obra (Catadores/Cooperados). “As centrais auxiliam diversas instituições da cidade a adotar e desenvolver práticas em cumprimento das políticas de sustentabilidade e garantindo a reintegração de materiais reutilizáveis como papel, vidro e garrafas pet ao seu processo produtivo original”, comenta Nilo Cini Junior, presidente do ILOG.

 

Todo esse esforço tem contribuído para a minimização do descarte de resíduos na natureza. Durante o ano de 2017, a Central de Maringá processou mais de 1.712 toneladas de materiais que foram destinados para serem novamente utilizados como matéria-prima na Industria: vidro (759,63 toneladas), papelão (452,62 toneladas), embalagens longa vida (67,15 toneladas), papel branco (147,24 toneladas) e papel misto (286,67 toneladas). Em Londrina foram mais de 415 toneladas, sendo: pet (79,75 toneladas), papelão (230,85 toneladas), embalagens longa vida (40,93 toneladas), papel branco (20,71 toneladas) e papel misto (116,5 toneladas). A destinação ao reuso ou o descarte correto dos resíduos, tem representado um processo vital na diminuição do impacto ambiental causado pelas indústrias da região.

 

O aspecto social do projeto, também, é muito importante pois colabora diretamente com geração de empregos no município. “O trabalho realizado nas CVMRs de Maringá e Londrina não só contribui para a construção de uma sociedade sustentável como também estimula o associativismo e o cooperativismo, gerando empregos e melhorando a renda de dezenas de famílias de catadores, pois eles são fundamentais no processo de separação e triagem das embalagens em suas cooperativas, para que sejam enviadas para as Centrais, aonde a comercialização é feita com maior valor agregado”, explica Nilo Cini Junior.

 

Além disso, o trabalho de logística reversa também é muito vantajoso do ponto de vista econômico tanto para as organizações quanto para a administração pública das cidades, já que garante uma redução significativa na exploração de recursos naturais, diminuindo os custos das indústrias com matéria-prima e reduzindo também os gastos governamentais com limpeza pública e construção de aterros sanitários. “Com menos de dois anos de atuação na cidade de Maringá, o ILOG comprovou que a união entre poder público, iniciativa privada e cooperativas podem contribuir muito para um mundo melhor, e nossa inten&c cedil;ão daqui para frente é difundir cada vez o conceito de logística reversa e expandir nossa abrangência com novas unidades na região”, completa Nilo Cini Junior.

 

Para conhecer mais sobre o trabalho do ILOG, acesse o site www.ilogpr.com.br.

Fonte: Caroline Rodrigues / P+G Comunicação Integrada. 




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.