03/06/2016 Energias renováveis tiveram, em 2015, um ano recorde de investimentos

Energias renováveis tiveram, em 2015, um ano recorde de investimentos

Instalação de placas fotovoltaicas em escola municipal de Uberlândia (MG). Foto: Otávio Almeida/Greenpeace.

Relatório da Situação Global das Energias Renováveis 2016 mostra que o mercado de renováveis, como solar e eólica, está crescendo e ganhando importância no mundo todo.

 

O ano de 2015 foi marcante para o setor de energias renováveis. Novas instalações e o aumento da capacidade de geração bateram números recordes, levando a um índice de 147 gigawatts (GW) adicionados até dezembro.  Os investimentos na área também foram históricos: 286 mil milhões de dólares em eletricidade e combustíveis de origem renovável.

Os dados são do Relatório da Situação Global das Energias Renováveis 2016, lançado pela RN21. O documento traz uma visão abrangente das tendências nos mercados, indústrias, investimentos e desenvolvimentos políticos no setor de energias renováveis em todo o mundo.

O ano passado foi o segundo consecutivo em que energia solar e eólica, por exemplo, tiveram recordes de adição de capacidade de geração. Entre todos os países do planeta, 77% das novas instalações de fontes renováveis foram para gerar energia a partir do vento e da luz do sol.

 

Em valores globais, a energia solar foi a campeã em investimentos, com 56% do total de verba investida em renováveis – ou, cerca de 161 bilhões de dólares. Esse montante é 12% maior do que o registrado em 2014.

 

Empregos verdes

 

Segundo o relatório, as fontes limpas de geração de energia – e o aquecimento desse setor – foram responsáveis por 8 milhões de empregos diretos e indiretos no ano passado. A fonte solar fotovoltaica e os biocombustíveis geraram o maior número de vagas no mercado de trabalho: 2,8 milhões e 1,7 milhão respectivamente.

 

O Brasil, junto a China, Estados Unidos e Índia, figurou no ranking dos países que mais geraram empregos relacionados ao setor de renováveis. E essa já é uma tendência esperada. Em maio deste ano, o Greenpeace Brasil lançou um estudo que mostrou o potencial que a energia solar tem para a geração de empregos e a movimentação da economia brasileira. Se todos os incentivos possíveis a essa fonte forem incentivados, teríamos quase 4 milhões de vagas de trabalho ligadas ao setor de energia solar.

Barrando o aquecimento global

 

Como o relatório destaca, hoje, o mundo está adicionando mais capacidade de energia vinda de fontes limpas e renováveis do que o volume adicionado vindo de fontes fósseis. No final de 2015, as energias renováveis supriam 24% da demanda mundial. É um valor considerável quando olhamos a evolução nos últimos anos, mas precisamos de muito mais que isso.

De acordo com compromissos firmados por 176 países na 21a Conferência do Clima, em dezembro de 2015, e segundo o que foi assinado no Acordo de Paris, o mundo precisa investir pesadamente em fontes limpas de energia nos próximos anos. E, assim, abandonar logo as fontes fósseis e poluentes. Essa é a forma que termos para barrarmos o aquecimento global e evitarmos os riscos das mudanças climáticas. 


O Relatório da RN21 aponta que as renováveis estão ganhando espaço, mas precisamos nos focar nesse caminho e gerar cada vez mais energia sem que isso signifique poluição e gases de efeito estufa. O Greenpeace Brasil acredita e defende que podemos chegar a 100% de energias renováveis em todo o mundo até 2050. Queremos Renováveis Já!

Fonte: Greenpeace Brasil.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.