06/08/2013

40 Baleias-Francas são vistas nos litorais catarinense e gaúcho

Foto: Institituto Baleia Franca

Quarenta baleias-francas foram avistadas durante o primeiro sobrevoo de monitoramento da espécie em 2013, realizado pelo Projeto Baleia Franca (PBF). Foram percorridos cerca de 200 km entre o litoral catarinense e o gaúcho, área que vai do sul de Florianópolis até Torres, município já localizado no Rio Grande do Sul.

 

Das 40 baleias-francas avistadas, 15 eram filhotes, número que é considerado dentro da média para o período. O litoral de Santa Catarina é considerado berçário natural da espécie, que procura as águas calmas e com temperaturas amenas da região não apenas para ter seus filhotes e amamentá-los, como também para a reprodução.

 

Segundo a coordenadora do PBF, Karina Groch, a maior concentração de baleias estava em Imbituba, entre as praias de Ibiraquera e Porto, onde 12 baleias foram avistadas. Entre as visualizadas pela equipe, foram identificadas algumas baleias conhecidas, que estão entre as catalogadas pelo projeto ao longo dos 30 anos de pesquisas.

Letra "J" no dorso
Uma das que mais chamou atenção foi a "Jdot". A baleia, segundo a pesquisadora, recebeu este nome por causa de uma manchinha branca que tem no dorso, em formato da letra "J" com um ponto "." . "JDot está com o sétimo filhote nascido em águas brasileiras. Ela foi identificada pela primeira vez na Península Valdés, Argentina, há 40 anos", afirmou a pesquisadora.

 

A equipe também avistou a baleia que foi vista há cerca de uma semana com um pedaço de rede de pesca na cabeça. A baleia estava acompanhada pelo filhote, porém já livre do artefato utilizado para pesca artesanal, e em boas condições de saúde.

 

O analista ambiental do Centro Mamíferos Aquáticos (CMA), do Institututo Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Paulo Flores, integrante da equipe de sobrevoo, disse que a avistagem de baleias como a JDot proporciona o registro de longevidade e taxa reprodutiva das baleias francas, sendo uma baleia com importante contribuição para manutenção da recuperação populacional da espécie no Atlântico Sul Ocidental.

 

Fontes ressalta que, embora o enredamento de baleias seja preocupante, o sobrevoo permite o monitoramento dos animais enredados e a constatação de que os casos em Santa Catarina nao têm comprometido a sobrevivência dos animais.

 

Sobrevoo
O sobrevoo faz parte do Programa de Monitoramento das Baleias Francas no Porto de Imbituba e adjacências. É realizado com o objetivo de analisar a dinâmica populacional das baleias francas na região, através do censo e foto identificação dos indivíduos avistados. O programa é co-executado pela Área de Proteção Ambiental (APA) da Baleia Franca e pelo Centro Mamíferos Aquáticos do ICMBio.

Fonte: Comunicação ICMBio.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.