07/07/2016 Combate ao aedes aegypti utiliza o próprio mosquito para espalhar inseticida

Combate ao aedes aegypti utiliza o próprio mosquito para espalhar inseticida

Técnica busca impregnar fêmeas do Aedes com inseticida que se dissolve nos criadouros e torna ambiente de procriação letal para as larvas do mosquito. Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil.

Estratégia consiste em atrair fêmeas do mosquito a ‘estações de disseminação’, onde os insetos são impregnados com larvicidas. Quando retornam aos criadouros, as fêmeas acabam liberando as micropartículas de inseticida na água onde colocam seus ovos. O ambiente se torna letal para as larvas que vão nascer.

 

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) firmou na quarta-feira (6) uma parceria com o Instituto Leônidas e Maria Deane – unidade técnico-científica da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) na Amazônia – para fortalecer o controle de vetores como o Aedes aegypti na região. A cooperação vai incluir a expansão de uma estratégia que envolve a dispersão de inseticida entre os mosquitos utilizando os próprios insetos.

 

A iniciativa consiste em atrair fêmeas de Aedes aegypti e também da espécie Aedes albopictus até pequenos recipientes que funcionam como armadilhas impregnadas com larvicidas à base de hormônios fabricados em laboratório.

 

Quando os mosquitos pousam nesses locais, chamados “estações de disseminação”, as micropartículas do inseticida em pó aderem ao corpo dos insetos e são levadas por eles até os criadouros, em um raio de cerca de 400 metros.

 

Ao se acomodarem nos criadouros para botar ovos, as fêmeas acabam liberando as partículas de inseticida na água – que se torna letal para as larvas dos mosquitos.

 

Prevenção

 

O Aedes é um mosquito de vida doméstica, ou seja, vive no interior e nos arredores de domicílios. O inseto consegue se reproduz em qualquer recipiente artificial ou natural que armazene água limpa e parada.

 

Para combater o mosquito – que pode transmitir zika, dengue e chikungunya –, é necessário limpar potes de vasos de plantas e recipientes que ficam na parte externa de residências, tampar tanques e caixas d’água, evitar o acúmulo de lixo e desentupir calhas e ralos que impeçam o escoamento de líquidos, além de descartar vasilhames em desuso que possam acumular água.

 

A OPAS considera que a prevenção é a melhor forma de evitar a infecção pelas doenças transmitidas pelo Aedes aegypti. Para se proteger, a pessoa deve cobrir a pele com roupas de mangas compridas e calças; dormir em locais protegidos por mosquiteiros; e usar telas nas janelas e portas para reduzir o contato com mosquitos.

 

Durante relações sexuais, é importante também a utilização de preservativos para evitar a transmissão por meio de fluidos corporais.

 

O uso de repelentes também é um método de prevenção eficaz e pode ser utilizado mesmo por gestantes. A OPAS e a Organização Mundial da Saúde (OMS) contam com uma lista de substâncias repelentes recomendadas para mulheres grávidas.

Fonte: ONU Brasil.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.