11/04/2018 Univali promove encontro em abril com palestras sobre agricultura sustentável

Univali promove encontro em abril com palestras sobre agricultura sustentável

Foto: Univali.

Os pesticidas estão em todo lugar: nos alimentos que comemos, na água que bebemos, na roupa que vestimos. A agricultura brasileira é hoje dependente de herbicidas, fungicidas e inseticidas aplicados com baixo controle e com alto impacto para quem produz e para quem consome. Onde o modelo convencional está, estão também os agrotóxicos. Estamos diariamente expostos aos resíduos de agrotóxicos, e essa realidade não é estudada a fundo. Isso é ainda mais preocupante em relação às crianças, por estarem em desenvolvimento (Greenpeace, 2017).

 

O Brasil é, desde 2008, o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Segundo Carneiro et al.(2015), a estimativa é de que cada brasileiro ingere uma média de 5,2 litros de agrotóxico por ano, e muitos desses agrotóxicos utilizados no país foram banidos em outros países, devido à comprovação de seus efeitos por meio de órgãos legais, por casos de intoxicação aguda e crônica de trabalhadores e de pessoas que se alimentam de produtos contaminados por resíduos de agrotóxicos, além dos efeitos nocivos causados na cadeia alimentar.

 

Nesse contexto, o projeto de extensão “Educação para transformação: mulheres agricultoras de Itajaí no processo de transição agroecológica”, coordenado pela Professora Doutora Márcia Gilmara Marian Vieira, criado no início de 2015, visa promover educação continuada em saúde, meio ambiente, relações de gênero para o desenvolvimento social, econômico e ambiental da agricultura familiar estimulando a participação cidadã como estratégia de mudança, autonomia, promoção de geração de renda local, estímulo ao consumo de alimentos saudáveis através da agricultura de base agroecológica de mulheres agri cultoras do município de Itajaí/SC.

 

O Projeto é vinculado à Universidade do Vale do Itajaí (UNIVALI), a qual é norteada pelo tripé: ensino, pesquisa e extensão. O projeto está pautado nos princípios da Lei 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos – PNRS) por fomentar a valorização da fração orgânica dos resíduos, através da compostagem. O projeto também tem como alicerce a nova agenda de desenvolvimento sustentável da ONU, abrangendo os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) como erradicação da pobreza, fome zero e agricultura sustentável, saúde e bem-estar, igualdade de gênero, redução das desigualdades, cidades e comunidades sustentáveis, consumo e produção respons áveis, ação contra a mudança global do clima e vida terrestre.

 

Além destes, o projeto ainda é fundado pela Lei nº 11.326/2006 (Política Nacional da Agricultura Familiar e Empreendimentos Familiares Rurais) mediante os princípios instituídos por modelos de descentralização, sustentabilidade ambiental, social e econômica, equidade na aplicação das políticas, respeitando aspectos de gênero, geração e etnia, respeito às diferentes tradições, concepções e experiências constituídas pelos agrupamentos humanos, na pluralidade de canais para o diálogo e na troca de conhecimento entre os grupos sociais, além de valorizar a multifuncionalidade da agricultura familiar e dos territórios rurais e compreender os espaços rurais em suas dimensões socioculturais e simbólicas, e não apenas enquanto provedores de alimentos ou de serviços ambientais.

 

A metodologia deste trabalho é pautada em ações educativas na perspectiva de Paulo Freire, inspirada no Círculo de Cultura. As estratégias de ação se concentram na realização de atividades, como oficinas relacionadas à agroecologia e às técnicas sustentáveis de manejo.

 

Nessa perspectiva, pelo segundo ano consecutivo o projeto de Extensão promove o Grupo de estudos Interdisciplinares em Agroecologia – GEIA, que realiza encontros teórico-práticos integrando ensino e extensão na área de agroecologia. O grupo enfatizando a produção orgânica, tendo como público alvo as mulheres agricultoras de Itajaí participantes do projeto Educação para Transformação, os acadêmicos de diversos cursos de graduação e pós-graduação da UNIVALI, além de contar com a presença de parceiros do projeto, convidados especiais e a comunidade. As atividades de apresentações, debates, palestras, seminários, oficinas e demais estratégias de atuação.

 

Busca-se estimular a compreensão da importância do consumo de alimentos orgânicos, alertando sobre os malefícios causados por produtos contaminados com pesticidas, agrotóxicos, adubos químicos e outros defensivos utilizados no modelo de agricultura convencional, motivando os participantes a iniciar suas hortas orgânicas em casa, disseminando o conhecimento à comunidade, promovendo integração entre ensino e extensão.

 

O Grupo estende a prática de seus encontros à Horta Orgânica Experimental – Ibyporã,promovida e mantida diariamente pelos integrantes do projeto, onde os participantes do Grupo podem cultivar, observar e ter uma melhor compreensão e vivência dos temas e técnicas abordadas, estimulando a participação e inclusão de todos.

 

Hoje o GEIA é formado por acadêmicos de diversos cursos da graduação e pós-graduação, como Ciências Biológicas, Jornalismo, Direito, Análise Ambiental, Engenharia Ambiental e Sanitária, Engenharia Civil, Oceanografia, Nutrição, Enfermagem entre outros; docentes, especialistas e os bolsistas, voluntários, colaboradores e parceiros do projeto de extensão, que além de participar, auxiliam na realização das oficinas. Já beneficiou cerca de 100 pessoas que participaram do grupo. Nossos encontros acontecem mensalmente, sempre com uma temática instigante e sustentável.

 

Este semestre o GEIA contará com a presença em seu primeiro encontro no dia 24 de abril do palestrante Nelson Jacomel, que é mestre em Engenharia de Produção, tem experiência em Ciências Agrárias. Neste dia a temática será voltada a agricultura biodinâmica. Já em junho no dia 05, o encontro contará com uma parte prática no período da tarde, sendo seguido da parte teórica no período noturno com a participação dos palestrantes Fábio Vaccaro de Carvalho, engenheiro ambiental e permacultor, Marcos Aluísio Stürmer, graduado em técnico de agropecuária, Thais Muliterno, graduada em Ciências Biológicas com ênfase em biotecnologia e Michelle Bocchi Gonçalves Doutora em Educação e Mestre em Educação. As temáticas debatidas neste dia serão:Hortas Urbanas, Integração acadêmica a extensão | Apresentação campo profissional da Agroecologia, Ecossidio.

 

O projeto de extensão Educação para Transformação: Meio Ambiente, Saúde e Gênero possui uma página online onde pode-se acompanhar o desenvolvimento de todas as atividades realizadas, acessando: https://www.facebook.com/educacaoparatransformacao/.

 

Também podem seguir o projeto pelo instagram: @educacaoparatransformacao. Além disso,convida a todos os interessados a participarem das reuniões do GEIA. Faça sua inscrição no site do ELIS e confira a programação: http://www.univali.br/eventos/meio-ambiente/Paginas/evento2069.aspx.

Fonte: Univali.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.