12/06/2015 IAP recebe pesquisadores suecos para mostrar monitoramento da qualidade do ar

IAP recebe pesquisadores suecos para mostrar monitoramento da qualidade do ar

Foto: Joana Serra / IAP.

Pesquisadores do Instituto de Meteorologia e Hidrografia da Suécia – Swedish Meterological and Hidrological Institute (SMHI) – visitaram nessa quinta-feira (11) o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) para conhecer o programa do Governo do Estado de Monitoramento e Controle da Qualidade do Ar. A organização sueca tem uma parceria com o Ministério do Meio Ambiente e participa do projeto sueco-brasileiro "Conceitos cidade inteligente em Curitiba - inovação para a mobilidade sustentável e eficiência energética" que irá estabelecer uma cooperação com o município de Curitiba.

O objetivo dos pesquisadores, que estão percorrendo diversas empresas e órgãos públicos durante a semana, é desenvolver um sistema de monitoramento e validação de inventários da qualidade do ar. Além da possibilidade de quantificar os benefícios na qualidade do ar (e da saúde) de diferentes ações, tais como para melhorar a mobilidade urbana, promover a eficiência energética e reduzir as emissões de gases.

No encontro, técnicos do órgão explicaram como funcionam os sistemas desenvolvidos em parceria com o Instituto Lactec e Celepar e as próximas etapas que devem ser implantadas ainda nesse mês. Também foi apresentada a evolução para o monitoramento da qualidade do ar e para o acompanhamento da emissão atmosférica de poluentes das industrias em operação no Paraná. 

“O nosso sistema é uma referência para órgãos ambientais nacionais e de outros estados, a nossa Resolução SEMA nº 016/2014 também está servindo como base para atualização de normas do Conama (Conselho Nacional do Meio Ambiente). Atuar na vanguarda desse tipo de monitoramento é muito importante, pois mostra como o Estado está preparado para um crescimento sustentável”, contou o presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto.

Os pesquisadores afirmaram estar contentes em conhecer o trabalho do IAP e que o que está sendo desenvolvido pela instituição irá contribuir muito com a pesquisa que será desenvolvida. Segundo eles, o órgão ambiental pode ser tornar um parceiro no projeto, uma vez que esta primeira visita é para conhecer mais sobre as condições específicas de Curitiba e identificar possíveis parceiros para uma cooperação no âmbito da qualidade do ar.

“Por um lado, a metodologia de trabalho que é proposta é de monitoramento de poluentes, por outro lado temos um inventário de emissões e poluição atmosférica, que o IAP já tem grande parte feita”, explicou a pesquisadora Patrícia Krecl, PhD pela UFPR.

SMHI - SMHI é uma agência governamental de Ministério do Meio Ambiente e Energia e possui parceira com o Ministério do Meio Ambiente do Brasil, e está cooperando com as autoridades brasileiras no domínio da gestão da qualidade do ar. 

Durante os anos de 2013 e 2014 desenvolveu um projeto piloto em Sapiranga, no Rio Grande do Sul, em parceria com a Fundação Estadual de Henrique Luis Roessler Proteção Ambiental (FEPAM), Universidade Federal de Pelotas e Prefeitura Municipal de Sapiranga. O projeto desenvolveu um método para avaliar as emissões e o impacto de pequenas partículas em ambientes ao ar livre urbanos, com o objetivo geral de identificar maneiras de reduzir as emissões e reduzir os efeitos à saúde da população exposta. 

Esse projeto mostrou como era possível dentro de um tempo relativamente curto (um ano), através do uso de medições de poluição do ar, o trabalho de inventário das emissões e modelagem de dispersão, chegar a conclusões sobre a forma como tanto fontes diferentes contribuem para a poluição de partículas em uma cidade.

Fonte: Instituto Ambiental do Paraná - IAP.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.