12/08/2013

Fundação Aury Bodanese está empenhada na liberação de vistos para haitianos

Diretoria da Coopercentral Aurora Alimentos e alguns dos funcionários haitianos no Brasil
Fotos: divulgação

A Fundação Aury Luiz Bodanese, por meio de sua mantenedora a Coopercentral Aurora Alimentos, promoveu almoço para arrecadar fundos para trazer familiares de sete funcionários haitianos que trabalham na Indústria Aurora em Chapecó (IACH). O evento foi um sucesso, mais de 1.000 pessoas participaram do almoço e a comunidade chapecoense aderiu à proposta. A Fundação arrecadou um valor no qual será possível trazer alguns familiares, porém está encontrando dificuldades com a liberação de vistos dos familiares que ainda moram no Haiti.

 

“A Fundação se comprometeu em amparar os funcionários da unidade industrial que tem familiares no Haiti e que pretendem vir para o Brasil em busca de melhores condições de vida. Porém, não há previsão do primeiro parente desembarcar no Brasil em função da morosidade burocrática no processo de visto”, realça a presidente da entidade, Isabel Cristina Machado.

 

Muitos familiares têm dificuldades para conseguir a documentação exigida e aqueles que conseguem não ultrapassam os limites da Embaixada do Brasil no Haiti. “A informação que recebemos é que o atendimento é feito por agendamento para entregar os documentos na embaixada e depois de nove meses eles ligam para entregar o visto”, relata Ginior André, de 28 anos, que está há um ano e seis meses na Aurora e pretender trazer seu pai para trabalhar no Brasil e ajudar a família.

 

Ginior comenta a dificuldade de manter contato com os familiares no Haiti. “Conseguimos conversar apenas quando eles ligam, porque nunca conseguimos completar a ligação para lá. Estamos ansiosos porque conhecemos as condições que nossos parentes estão vivendo no Haiti, por isso todo o recurso que podemos juntar enviamos para eles”, complementou.

 

Renese Petimey, de 21 anos, explica que o seu irmão mais velho de 29 anos deseja vir para o Brasil para trabalhar, mas, não consegue o visto. “Ele já providenciou toda a documentação e está aguardando a legalização. Neste processo é necessário ter bastante cuidado porque há muitos atravessadores que estão aproveitando a vulnerabilidade das famílias”, justifica.

 

Isabel complementa que a Fundação já repassou um valor ao Consulado para dar início ao tramite do visto de duas pessoas que estão ansiosas para vir ao Brasil.

 

“ALMOÇO AMIGOS DA FALB”
De acordo com a coordenadora do programa “Amigo Energia”, Elizane Caresiao objetivo do almoço foi arrecadar recursos para trazer e legalizar um familiar de cada funcionário para se instalar em Chapecó. “Temos colaboradores que atuam há mais de um ano na empresa e sabemos que seus familiares que ainda residem no Haiti, passam necessidades, não têm como sobreviver e, por isso, muitos mandam dinheiro daqui para lá”, explica.

 

As ações voltadas aos haitianos começaram em 2012 com doação de roupas, calçados, alimentos e utensílios para casa. As pessoas interessadas em auxiliar essas famílias devem procurar a Fundação ou ligar no (49) 3321-3131 e solicitar informações sobre a agência e conta bancária para efetuar o depósito para ajudar a custear as despesas de passagem. 

Fonte: Marcos A. Bedin / MB Comunicação Empresarial-Organizacional




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.