16/05/2014

Governo do Paraná confirma novo parque e autoriza R$ 12 milhões em obras para Pato Branco

Foto: Ricardo Almeida/ANPr.

A população de Pato Branco, no Sudoeste do Paraná, ganhará mais um espaço de conservação ambiental e lazer: o Parque Estadual Vitório Piassa, uma área de 107 hectares de florestas de araucárias, mata ciliar e campos. O governador Beto Richa esteve no município nesta quinta-feira (15) e anunciou a indenização de antigos proprietários de terrenos que formam o Parque. O valor das indenizações chega a R$ 5,7 milhões. O governo estadual investirá mais R$ 5 milhões serão investidos em infraestrutura. O pagamento das indenizações, já efetuado, foi o último passo necessário para concretizar o parque.

No evento com o prefeito Agostinho Zuchi e lideranças do município, Richa também autorizou licitações para obras de pavimentação de ruas e construção de creches. O investimento é de R$ 12 milhões, dos quais R$ 3,27 milhões a fundo perdido, pelo Plano de Apoio ao Desenvolvimento dos Municípios (PAM).

Beto Richa disse que a concretização do Parque Vitório Piassa é mais um exemplo da disposição do governo de atender as demandas das cidades. “Esse parque é um sonho antigo da comunidade de Pato Branco, que havia ficado pendente na administração anterior. “Hoje concretizamos esse sonho. A população terá definitivamente uma área para lazer, atividade física, confraternização. O governo estadual garantiu essa conquista”, afirmou Richa.

O prefeito Agostinho Zuchi ressaltou a importância da medida para a população de Pato Branco. “Além da preservação ambiental, a cidade e a região agora tem um espaço de lazer. As pessoas gostam de caminhar, de passear e o governo, além de pagar os R5 milhões da indenização, vai investir mais R$5 milhões em infraestrutura, com ciclovias, trilhas e pistas de caminhada”, disse o prefeito.

O governador ressaltou os investimentos em Pato Branco e região. “Assumi o compromisso de trabalhar incansavelmente para mudar a histórica do Sudoeste, com mais investimentos em todas as áreas e melhoria de serviços para a população”, disse Richa. Na mesma quinta-feira, o governador esteve em Palmas, Clevelândia e Honório Serpa e confirmou investimentos em infraestrutura, inaugurou unidade de saúde e autorizou início de obras de construção de escola estadual. “O governo estadual está presente em todos os municípios paranaenses, sem distinção”, afirmou o governador. “É dever do poder público atuar para melhorar a vida das pessoas e é isso que fazemos, com diálogo, sempre em sintonia com os interesses da população.”

AMBIENTAL – O presidente do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Luiz Tarcísio Mossato Pinto, explicou que a atuação do Governo do Estado e do Município para investimentos no local só passa a ser possível com a regularização fundiária do Parque. Como o primeiro laudo de avaliação da área foi realizado em 2010, o ITCG realizou um novo laudo em 2013 que garantiu uma justa avaliação de cada lote que compõem a área.

“A regularização fundiária é o mais importante no processo de criação de uma Unidade de Conservação, só com a posse do terreno nós podemos realizar investimentos para infraestrutura e conservação da biodiversidade local”, afirmou ele. “Agora vamos nos dedicar a formação do grupo de trabalho para gestão do local e na contratação do plano de manejo do Parque”, disse.

O plano de manejo reúne diversos estudos realizados que avaliam a qualidade e quantidade de ecossistemas no local e tem o objetivo de garantir o desenvolvimento sustentável da Unidade de conservação. É ele que delimita o que pode ser feito ou não nas Unidades de Conservação. Somente com a efetiva desapropriação e indenização dos proprietários das terras, o Governo do Estado e o município podem atuar no local para construção de infraestrutura e, assim, entregar para a população mais um local para o uso público de promoção a conservação ambiental e ao lazer.

A Unidade de Conservação foi criada em 2009 pelo Decreto nº 5169, porém somente agora os antigos proprietários dos imóveis que devem constituir o parque foram indenizados pelo Governo do Estado. A área que agora compõem a Unidade de Conservação era dividida em sete lotes da família Piassa, por isso o nome do parque, em homenagem ao patriarca da família que iniciou o cultivo e a preservação do local.

“Além de preservação e conservação do meio ambiente, o local tem como objetivo promover a realização de pesquisas científicas, atividades de educação ambiental, lazer e de turismo sustentável através do contato direto com a natureza”, afirma o presidente do IAP, Luiz Tarcisio Mossato Pinto. “Este parque é significativo pra população, pois além de preservar, nós pretendemos educar a comunidade com a implantação de programas como o Parque na Escola”, disse.

GESTÃO COMPARTILHADA - Em agosto de 2013, o IAP e o município firmaram convênio para gestão compartilhada da Unidade de Conservação. No convênio estão previstas atribuições para ambas instituições. Dentre as competências do município estão a disponibilização de funcionários; apoio às pesquisas, conforme norma vigente e o plano de manejo do parque e apoiar o IAP nas suas ações. Ao IAP cabe dar as diretrizes para administração do parque, dar as diretrizes para o plano de manejo, implantar o conselho gestor, entre outros. Além da desapropriação e indenização pelos terrenos que compõem a Unidade de Conservação, o que está sendo anunciado.

Saiba mais sobre o trabalho do Governo do Estado em:

www.pr.gov.br e www.facebook.com/governopr

Fonte: Instituto Ambiental do Paraná - IAP.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.