16/09/2015 Seminário aborda monitoramento de aves em Unidades de Conservação

Seminário aborda monitoramento de aves em Unidades de Conservação

Foto: divulgação.

Estão abertas até o dia 30 deste mês as inscrições para o I Seminário de Monitoramento de Aves Silvestres em Unidades de Conservação de Santa Catarina. São 65 vagas, sendo 50 para aulas teóricas e 15 exclusivamente para aulas práticas.

 

O seminário ocorrerá entre 30 de novembro e 5 de dezembro, na Estação Ecológica (Esec) de Carijós, em Florianópolis (SC). A promoção é do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Aves Silvestres (Cemave), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

 

Entre os temas teóricos, estão a "Conservação de aves silvestres no Brasil", "O Cemave e o Sistema Nacional de Anilhamento (SNA)", "Deslocamentos e migrações de aves no Brasil" e "Perfil e conduta do anilhador em campo".

 

Já nas aulas práticas, os inscritos poderão participar do curso de captura e anilhamento de aves silvestres, técnica que consiste na marcação individual das espécies, com um pequeno anel de metal na pata.

 

O evento é destinado a anilhadores seniores e juniores cadastrados no Sistema Nacional de Anilhamento, graduandos de cursos de áreas biológicas, profissionais que atuam em áreas biológicas e em programas de monitoramento ligados ao licenciamento ambiental, analistas e técnicos ambientais preferencialmente de unidades de conservação (UC), gestores de UCs e de órgãos estaduais de Meio Ambiente.

 

A seleção priorizará profissionais do Sul do Brasil – estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Para ter acesso ao formulário de inscrição e à programação completa do seminário, clique aqui.

 

Monitoramento da biodiversidade

 

A analista ambiental Camile Lugarini, da Base Avançada do Cemave em Florianópolis, disse que o seminário surgiu da necessidade de monitorar a biodiversidade em unidades de conservação (UCs).

 

Desde 2010, segundo ela, o Cemave trata desse tema com a Coordenação de Monitoramento da Conservação da Biodiversidade (Comob), da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio) do ICMBio.

 

"O Instituto Chico Mendes é, inclusive, o atual responsável por criar e implementar um sistema que monitore as unidades de conservação no que diz respeito à efetividade, ao longo do tempo, na manutenção da biodiversidade", afirmou.

 

Para tanto, ainda segunda ela, a Coordenação lançou, recentemente, o protocolo mínimo de monitoramento em UCs, com indicadores como borboletas cuja dieta alimentar é composta principalmente de frutos (frugívoras), plantas arbóreas e com características de árvores (arborescentes), aves cinegéticas e mamíferos de médio e grande porte.

 

A analista destacou que o seminário visa, também, a ampliar os esforços de monitoramento do ICMBio, utilizando uma rede de pesquisadores e ornitólogos para observar a dinâmica e tendências populacionais de aves ao longo do tempo nas UCs por meio de metodologias padronizadas.

 

De acordo com ela, outras iniciativas de monitoramento de UCs também estão sendo articuladas por centros de pesquisa do ICMBio e a Comob. "Dentro desta perspectiva, o Cemave/SC quer capacitar o maior número de pessoas no Sul do Brasil. Além disso, vai discutir como este trabalho deve ser realizado, disponibilizando, inclusive, uma ferramenta online para upload de dados".

 

Campanha nacional

 

Em paralelo à organização do I Seminário de Monitoramento de Aves Silvestres em Unidades de Conservação de Santa Catarina, o Cemave promove campanha nacional para incentivar os relatos de recuperações de aves anilhadas no Brasil. Os relatos ajudam a alimentar o banco de dados do SNA, que atualmente conta com mais de 817 mil anilhamentos e quase 6.800 recuperações relatadas.

 

O analista ambiental Diego Lima, do Cemave, disse que os relatos das pessoas sobre a recuperação das aves é de extrema importância para o desenvolvimento de inúmeras pesquisas.

 

Para relatar o encontro de uma ave anilhada, é necessário preencher o formulário que está disponível por meio do link. Quando uma ave é recuperada, o anilhador recebe um aviso de recuperação e o recuperador (pessoa que relatou o encontro da ave anilhada) um certificado de agradecimento.

 

A campanha de incentivo aos relatos tenta aumentar o número de recuperações de aves no Brasil. Essa taxa se situa hoje abaixo de 1%, enquanto na Europa e EUA chegam a 5%.

Fonte: ICMBio.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.