17/01/2014

Qualidade da água é mantida nas praias do Paraná

Foto: Harvey F. Schlenker

O Instituto Ambiental do Paraná (IAP) divulgou na sexta-feira (17/1) o quinto boletim de balneabilidade da temporada. Os resultados das amostras coletadas por técnicos do órgão mostram que a água da maioria dos locais monitorados no Paraná continua própria para banho.

No litoral paranaense, dos 47 pontos monitorados, cinco são impróprios para banho, sendo que dois são em faixa de areia e três em rios. Os pontos com concentrações de bactérias Escherichia coli (E.coli) em desacordo com os padrões estabelecidos pelo Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama) são: Praia de Encantadas, na Ilha do Mel (em frente ao módulo policial); Caieiras, em Guaratuba (altura da rua Frederico Nascimento); Ponta da Pita, em Morretes e Antonina; e os dois pontos monitorados ao longo do rio Nhundiaquara, também em Morretes e Antonina.

Na costa Oeste e Norte do Paraná, todos os pontos monitorados estão próprios para banho.

O presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, destacou que as coletas dessa semana foram feitas sob chuva, na segunda e terça-feira (13 e 14 de janeiro), o que pode alterar a manutenção da qualidade da água.

“Os técnicos coletaram as amostras debaixo de chuva, o que mostrou uma sensível piora na manutenção da qualidade da água nessa semana. Mesmo assim, o boletim confirma a eficiência dos investimentos feitos pelo Governo do Paraná e prefeituras no nosso Litoral”, declarou.

Além dos pontos monitorados e divulgados nos boletins de balneabilidade, o IAP também monitora e sinaliza outros locais do Litoral do Paraná que historicamente são considerados impróprios para banho.

SINALIZAÇÃO
No Litoral paranaense, os veranistas podem acompanhar a qualidade das águas nas bandeiras instaladas na orla e também em 10 totens eletrônicos e outros serviços do Governo do Paraná.

A bandeira de cor vermelha significa que a água está imprópria para banho nos 100 metros à esquerda e à direta da sinalização. A azul indica que a água possui bons índices e pode ser aproveitada pelos banhistas.

Os veranistas também podem obter essa informação no site do IAP (www.iap.pr.gov.br) e nos comércios locais.

Fonte: Instituto Ambiental do Paraná (IAP)

 



Fatma divulga segundo relatório de balneabilidade de 2014

Dos 200 pontos monitorados em Santa Catarina, 145 estão próprios para banho.


A Fundação do Meio Ambiente de Santa Catarina (Fatma) divulgou na sexta-feira (17/1) o 4º relatório de balneabilidade da temporada 2013-2014, o segundo de 2014. No estudo, 46 pontos (69,7%) foram considerados próprios em Florianópolis, dos 66 analisados. Nos demais municípios do litoral 99 pontos (73,9%) próprios de 134 analisados.

Já em todo o estado de Santa Catarina foram 145 próprios, dos 200 analisados.

As condições de balneabilidade são determinadas pela quantidade de coliformes fecais / E coli amostradas nos locais de coleta. A presença de coliformes fecais indica o lançamento de esgoto nas águas do mar. De acordo com o gerente de Pesquisa e Análise da Qualidade Ambiental da Fatma, Haroldo Tavares Elias, a ligação incorreta na rede de esgoto, os efluentes provenientes de sistemas individuais de tratamento (fossa/filtro) ineficientes, de sistemas coletivos incompletos ou com operação irregular ou mesmo de esgoto bruto tem sido a principal causa para a poluição nas praias catarinenses. "Outro fator são as chuvas intensas e ressacas, de forma geral, que contribuem para o incremento na quantidade de esgoto que chega até as praias", esclarece Haroldo.

De acordo com o engenheiro sanitarista de Gerência Pesquisa e Análise da Qualidade Ambiental da Fatma, Camilo Leite de Hollanda, cabe ao cidadão solicitar ao poder público municipal que promova o saneamento, participando dos conselhos municipais de saneamento, cobrando ações de fiscalização e a realização das obras necessárias, constantes nos planos de saneamento municipais. “As condições de balneabilidade são diretamente influenciadas pelas condições dos sistemas de coleta e de tratamento de esgoto dos municípios. O cidadão pode contar com os entes regulatórios do setor de saneamento: as agências municipais, intermunicipais e estadual de regulação dos serviços de saneamento, para cobrar melhorias’’, finalizou.

Informamos que nesta semana foi realizada a reposição de placas na Ilha Norte, Lagoa da Conceição e parte do sul da Ilha, além de Balneário Camboriú. O Laboratório da FATMA estabeleceu parceria com Fundação do Meio Ambiente de Itapema - FAACI para reposição e atualização das placas naquele Balneário.

Em Balneário Camboriú contaremos com o auxílio da Secretaria de Meio Ambiente para atualizações nas placas indicativas das condições de balneabilidade todas as sextas-feiras. Estas parcerias trarão mais efetividade à atualização das informações de balneabilidade das praias.

O relatório de balneabilidade da Fatma permanece semanal até março de 2014. É possível acompanhar a balneabilidade do litoral catarinense por um sistema do google maps: http://www.fatma.sc.gov.br/laboratorio/mapa.


Em anexo, segue relatório completo:
Ver Anexo (Relatório Completo )

Fonte: Assessoria de Informação / FATMA




Projeto Balneabilidade aponta 10 pontos impróprios no Rio Grande do Sul

As cinco regiões analisadas no Estado do Rio Grande do Sul apresentam 10 pontos impróprios para banho nesta semana, 10 a menos do que na semana passada. O Litoral Norte do RS apresenta cinco pontos impróprios: a Foz do Rio Mampituba; a Foz de Arroio do Sal, na praia de mesmo nome; a praia de Atlântida está imprópria para banho em frente à SABA assim como o ponto  próximo à rua Rio Tainhas, na Guarita 87, em Xangri-lá e o Balneário da Prainha, na Lagoa do Peixoto, em Osório.

No Litoral Médio gaúcho, todos os 19 pontos estão próprios para banho assim como os cinco pontos do Litoral Sul. Na Região Hidrográfica do Uruguai o rio Ibicuí  está  impróprio para banho no ponto próximo ao bar, no camping Rainha do Sol, em Manoel Viana. E na Região Hidrográfica do Guaíba estão impróprios os pontos de Sans Souci, em Eldorado do Sul; as Praias da Alegria e Florida, em Guaíba e ainda a praia Recanto das Mulatas, em Barra do Ribeiro (no ponto entre o bar o salva-vidas).

A água classificada como imprópria, de acordo com os parâmetros analisados (coliformes fecais e Escherichia coli), pode conter os microrganismos patogênicos causadores de doenças como amebíase, giardíase, gastroenterite, febres tifóide e paratifóide, hepatite infecciosa e cólera, diarréia, doenças de pele e infecções nos olhos, ouvidos e garganta.

Fonte: FEPAM / SEMA




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.