17/10/2013

Menos de 2% de espécies dominam metade das árvores da Amazônia

Pesquisa revela árvores mais comuns na floresta amazônica.
Foto: Hans ter Steege

A castanheira do Pará é uma das espécies de árvores dominantes da bacia amazônica, aponta pesquisa internacional.

 

O ecossistema amazônico, que está entre os mais ricos do mundo, é dependente de um pequeno conjunto de plantas, mostra pesquisa publicada nesta quinta-feira (17/10) na revista Science.

 

A bacia amazônica abriga cerca de 16 mil espécies diferentes de árvores, mas apenas 227 são responsáveis por quase metade das árvores na floresta tropical - o que corresponde a apenas 1,4% do total.

 

Para chegar a esse número, a equipe de Hans ter Steege catalogou todas as árvores que tinham caules mais espesso do que 10 centímetros de 1.170 diferentes árvores espalhadas pela Amazônia. O pesquisador afirma que essa contagem pode ser útil nos esforços de conservação da vegetação da floresta, assim como nos estudos de cientistas do clima no futuro.

 

As 227 espécies de árvores que o grupo de cem especialistas identificou como "hiperdominantes" ocorrem em determinados habitats, limitando-se a um ou dois tipos, como os igapós e as florestas de terra firme.

 

A análise fornece novos detalhes sobre a abundância, a raridade e a riqueza de espécies de árvores em toda a Amazônia. Até agora, os dados sobre a composição e distribuição de espécies arbóreas em que parte do mundo tem sido escassos e limitados.

 

Os pesquisadores não sabiam, até então, as espécies de plantas mais comuns da Amazônia. Agora, graças à contagem do grupo, a palmeira "Euterpe precatoria" destaca-se como a que mais aparece no território.

Fonte: UOL / São Paulo




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.