18/05/2016 Sarney Filho priorizará questão climática

Sarney Filho priorizará questão climática

Foto: Paulo de Araújo/MMA.

Ministro apoiará a ratificação do Acordo de Paris pelo Congresso Nacional. Compromisso brasileiro é reduzir as emissões em 37% até 2025.

 

O ministro do Meio Ambiente, Sarney Filho, apoiará a ratificação brasileira do Acordo de Paris, um compromisso mundial para cortar as emissões de gases de efeito estufa e, assim, frear as mudanças do clima. O apoio foi firmado nesta quarta-feira (18/05) em reunião com a sociedade civil. Além disso, equipe técnica do MMA participa, na Alemanha, de conferência sobre o tema.

A agenda climática está entre as prioridades do ministro. No próximo dia 8, a Frente Parlamentar Ambientalista, coordenada anteriormente por Sarney Filho, dará início a uma campanha para a ratificação do Acordo de Paris. Aprovado pela comunidade internacional, o Acordo precisa ser transformado em lei para começar a valer em território brasileiro.

META

O compromisso do país perante as Nações Unidas é reduzir as emissões em 37% até 2025, com indicativo de cortar 43% até 2030. Ambos os percentuais são relativos aos níveis de emissões de gases de efeito estufa registrados em 2005.

A meta faz parte da Pretendida Contribuição Nacionalmente Determinada (iNDC, na sigla em inglês) do Brasil. Juntas, as iNDCs do Brasil e dos demais países devem ser capazes de manter o aumento da temperatura média global a bem abaixo de 2ºC em relação aos níveis pré-industriais e garantir esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5ºC.

LIDERANÇA

A liderança brasileira nessa agenda segue com a participação de equipe técnica do MMA em conferência da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC, na sigla em inglês), que ocorre em Bonn, na Alemanha, até a próxima semana. O encontro reúne os países signatários da UNFCCC para regulamentar pontos específicos do Acordo de Paris.

Com a validação do Congresso Nacional, o Brasil vai acelerar a implementação do Acordo de Paris. Para que o Acordo comece a vigorar, é necessária a ratificação de pelo menos 55 países responsáveis por 55% das emissões mundiais de carbono. Até agora, no entanto, 16 nações responsáveis por 0.03% das emissões concluíram o processo.

O ACORDO

Concluído em dezembro de 2015 na 21ª Conferência das Partes (COP 21) da UNFCCC, o Acordo de Paris:

- Busca limitar o aumento da temperatura média global a bem abaixo de 2°C em relação aos níveis pré-industriais e empreender esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5°C.

- Para isso, estabelece o processo que apresenta as contribuições nacionalmente determinadas (iNDCs), com metas individuais de cada país para a redução de emissões de gases de efeito estufa. No caso do Brasil, o objetivo é reduzir 37% até 2025 e 43%, até 2030.

- Com intuito de aumentar a ambição dessas metas, cria um mecanismo de revisão a cada cinco anos dos esforços globais para frear as mudanças do clima.

- Promove o financiamento coletivo de um piso de US$ 100 bilhões por ano para países em desenvolvimento, considerando suas necessidades e prioridades.


Edição: Alethea Muniz
Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA): (61) 2028-1221

Fonte: Lucas Tolentino – Ministério do Meio Ambiente.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.