21/03/2016 IAP percorre 200 km do Rio Iguaçu para fiscalizar pesca predatória

IAP percorre 200 km do Rio Iguaçu para fiscalizar pesca predatória

Para combater a pesca predatória, fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) percorreram aproximadamente 200 quilômetros do rio Iguaçu durante o fim de semana (18, 19 e 20). Foto: Fiscalização / IAP.

Para combater a pesca predatória, mais frequente com a chegada da Páscoa, fiscais do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) percorreram aproximadamente 200 quilômetros do rio Iguaçu durante o fim de semana (18, 19 e 20). As equipes abordaram mais de 800 pessoas e 300 embarcações nos municípios da Região Metropolitana de Curitiba e da região Sul do Estado.

Ao todo, foram apreendidos dois mil metros de redes, equipamentos (que estavam sendo usados de forma irregular) e pescados. Também foram aplicadas autos de advertência e de infração, que juntos somaram mais de R$ 2 mil em multas por descumprimentos as normas ambientais e ainda os infratores podem responder por crime ambiental.

Os fiscais também percorreram em acampamentos nas margens do rio Iguaçu, de seus afluentes e em beira de estradas. Além da fiscalização, eles forneceram orientações de educação ambiental aos cidadãos sobre questões relacionadas a pesca e a destinação adequada de lixo produzido.

Para o chefe do Departamento de Fiscalização do IAP, Ivo Good, o apoio da população concordando e auxiliando a investigação foi importante para o trabalho. “Uma constatação importante que devemos ressaltar é o apoio recebido de membros de clubes de pesca e de pescadores amadores que praticam a pesca com equipamento permitido. Eles nos ajudaram a combater a pesca predatória” explica.

Os fiscais da sede e do Escritório Regional de Curitiba do IAP receberam apoio de fiscais do Escritório Local de Guaratuba. As equipes percorreram os municípios de Porto Amazonas, Palmeira, São João do Triunfo, Lapa e São Mateus do Sul.

O presidente do IAP, Luiz Tarcísio Mossato Pinto, informou que a instituição está intensificando a fiscalização nessa região após constatar o aumento de infrações cometidas ao meio ambiente. “Nós temos que programar fiscalizações com inteligência, construindo ações conjuntas entre a sede e demais escritórios regionais para atender a demanda”.

PINHÃO – Durante as ações também foram apreendidos materiais e 25 quilos de pinhão que estavam sendo comercializados ilegalmente. O comércio e a colheita da semente está proibida até 1º de abril para garantir o amadurecimento da pinha e do pinhão, além da reprodução da araucária e alimentação da fauna.

Fonte: Instituto Ambiental do Paraná (IAP).




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.