24/07/2013

Monitoramento da qualidade da areia das praias do Paraná é tema de evento internacional


Foto: divulgação.

 

O trabalho realizado pelo Governo do Estado para o revolvimento e monitoramento da qualidade da areia no litoral nas duas últimas Operações Verão, 2011/2012 e 2012/2013, é tema de discussão no “Congresso de Microbiologia da Europa” que ocorre em Leipizig, Alemanha, nessa semana (de 21 a 25 de julho). O trabalho é apresentado pela farmacêutica bioquímica do Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Sumaia Andraus, e leva o título "Influência dos raios solares na redução de Escherichia coli nas areias secas das praias do Estado do Paraná após revolvimento mecânico".

 

O trabalho apresentado pela bioquímica no evento é sua tese de mestrado que foi implantada de forma experimental pelo Governo do Paraná com o objetivo de controlar e melhorar a qualidade da areia do litoral do Estado. Em sua tese, Sumaia constatou que a areia pode passar o ano inteiro contaminada, pois é permanentemente úmida e, com temperatura ideal e nutrientes que mantém as bactérias “viáveis” (processo de bioacumulação). Ao mesmo tempo, os estudos mostraram que a qualidade das areias podem ser melhoradas através de sua limpeza e revolvimento para que os raios ultravioleta emitidos pelo sol possam agir.

 

Utilizando como base os estudos desenvolvidos pela funcionária, o Paraná, através do IAP, Instituto das Águas do Paraná, Secretaria Estadual de Meio Ambiente e da Sanepar, experimentou o uso de máquinas que removem a parte superficial da areia, deixando livre a passagem dos raios do sol para eliminar as bactérias. Foi essa ação feita na Operação Verão que comprovou a tese de Sumaia e chamou a atenção dos organizadores do evento internacional.

 

Mesmo com o resultado de sua pesquisa, Sumaia acredita que o sistema de controle microbiológico das areias no Paraná é importante, mas a educação ambiental vem em primeiro lugar. “Podemos limpar todo ano a areia das praias, mas devemos lembrar de educar as pessoas para que elas não joguem mais lixo nas praias”, afirmou.

 

A bioquímica também destacou a importância do envolvimento de todos que atuaram com ela no trabalho realizado pelo Governo do Estado. “Preciso agradecer ao Alberto Baccarin (diretor de Estudos e Padrões Ambientais na época do desenvolvimento do trabalho) e Edson Luiz Gomes Guimarães pelo apoio e por acreditarem na minha pesquisa”, destacou Sumaia.

Fonte: Instituto Ambiental do Paraná - Assessoria de Informação.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.