24/08/2016 Fórum apresenta campeões ambientais da região Sul

Fórum apresenta campeões ambientais da região Sul

 

O Fórum de Gestão Sustentável, com a entrega do Troféu Onda Verde, apresentação de palestras e vídeos socioambientais, acontecerá no dia 26 de agosto, a partir das 14 horas, na sede da Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (Fiesc). Ele contará com várias presenças vips, como os presidentes e vices da Fiesc, Grupo Ric, Engie Tractebel, Eletrosul, Porto de Imbituba, Aurora Alimentos, Celesc, Termotécnica e Apremavi, a principal ONG ambiental de Santa Catarina. Diretores de empresas, ambientalistas renomados e prefeitos também estarão presentes. Para inscrever-se, gratuitamente, acesse expressao.com.br/forum/2016

O Prêmio Expressão de Ecologia, com quase 2,5 mil cases inscritos em mais de duas décadas e certificado pelo Ministério de Meio Ambiente como o principal da região Sul, contou com 95 participantes que inscreveram 129 cases nesta edição. Eles investiram R$ 276,5 milhões nesses cases, que são os principais projetos ambientais da região Sul. Os projetos deste ano envolvem mais de 200 mil voluntários e preservam mais de 11 milhões de animais. Essas empresas faturam R$ 63,4 bilhões e investiram a nada desprezível quantia de meio bilhão de reais em meio ambiente. O Guia Expressão de Sustentabilidade, o mais completo guia ambiental do Sul do país, detalha todos esses cases. Ele será distribuído apenas na próxima semana, mas pode ser acessado através do e-book expressao.com.br/guia2016

 

GERAÇÃO CABEÇA VERDE – Se uma criança tivesse nascido junto com o Prêmio Expressão de Ecologia, no começo da década de 1990, ela teria agora 23 anos. Com a vantagem, sobre seus pais e avós, de ter recebido uma vibrante educação ambiental. O batismo ecológico dessa geração, pioneira na conscientização ambiental, foi um dos bens mais valiosos adquiridos pela região Sul nas últimas décadas. A educação ambiental catequizou escolas, comunidades, indústrias, prefeituras, idosos e jovens, professores, empresários, donas de casa.

 

Atualmente esses jovens pioneiros do catecismo verde formam fervorosos esquadrões ecológicos que cuidam de parques, plantam milhões de árvores e hortas, limpam rios e praias, reciclam, cuidam de animais, divulgam mandamentos ambientais. Cerca de 1 milhão deles atua em ações, projetos e programas ambientais nos quatro cantos do Sul. É a geração de cabeças verdes.

 


Turminha da Reciclagem já catequizou mais de 200 mil crianças

 

Um dos cases dessa categoria é o da cooperativa Aurora – uma das empresas que mais conquistaram o Troféu Onda Verde. Seu fundador, o lendário e saudoso Auri Bodanese, foi uma das ilustres personalidades ambientais do prêmio nesse período. Seu programa de gestão ambiental, com mais de 32 milhões de reais investidos, atinge as comunidades onde atua, dezenas de milhares de agricultores, familiares e principalmente crianças. É uma das principais formadoras da geração de cabeças verdes no oeste catarinense. O famoso projeto Turminha da Reciclagem, uma entre as heranças desse programa, já catequizou mais de 200 mil crianças em todo o país. A Aurora, uma das maiores agrocooperativas do país, dá apoio técnico e comercial para mais de 62 mil famílias cooperadas. Além disso, ajuda na ampliação e nas reformas das propriedades, todas com saneamento e eletrificação rural.

 

ANIMAIS – o Brasil é um país de magnífica diversidade animal, e o brasileiro adora animais. As estatísticas do IBGE mostram que, se você é brasileiro e não tem um cachorro, o seu vizinho tem (mas cerca de 30 milhões de cães e gatos abandonados perambulam pelas cidades brasileiras). Ao mesmo tempo, caçadores e traficantes ameaçam várias espécies de aves e animais silvestres.

 

Na categoria Bem-Estar Animal, um dos cases mostra a Baleia Franca, que utiliza as águas quentes da costa catarinense para acasalar, procriar e amamentar seus filhotes. Com a ampliação de sua capacidade operacional, e maior tráfego de navios, a direção do Porto de Imbituba, preocupada com a sobrevivência das dezenas de baleias que passam por ali a cada ano, passou a monitorar e a ampliar seus conhecimentos sobre esses gigantescos animais. Em parceria com o Projeto Baleia Franca, o monitoramento é feito através de sobrevoos e pontos fixos. Ações como esta vêm tirando a Baleia Franca das lúgubres listas de espécies em extinção, e a cada ano os catarinenses veem aumentar o número delas em seu litoral.

 


Preservação da Baleia Franca levou o Porto de Imbituba
a conquista do Prêmio Expressão de Ecologia

 

Outro case mostra como os caçadores clandestinos, estimulados pelos lucros do comércio ilegal, extinguiram o exótico papagaio-de-peito-roxo da maioria de seus habitat naturais. Inclusive no Parque Nacional das Araucárias, no oeste catarinense. Porém, neste parque, quase uma centena deles foi reintroduzida, desde 2010, pelo Instituto Espaço Silvestre. Os papagaios peito-roxo são reabilitados, soltos e monitorados. E as comunidades carentes vizinhas recebem aulas de educação ambiental e capacitação para geração de renda em atividades mais sustentáveis do que a caça clandestina.

 

SANTUÁRIOS ECOLÓGICOS – O case da Klabin reforça a característica do Sul de ter o maior número de santuários ecológicos do país. A Serra da Farofa estende-se por 5 mil alqueires nas proximidades de Urubici e Urupema. Mata Atlântica, araucárias, belos campos de altitude. Elas protegem as nascentes dos rios Caveira e Canoas, que formam a maior bacia hidrográfica de Santa Catarina e abastecem vários municípios com milhares de pessoas. Sua flora contabiliza 600 espécies e sua fauna, 75 animais, entre eles vários em extinção, como o leão-baio, a jaguatirica e o papagaio-charão. A Klabin investiu 4 milhões e 800 mil reais para proteger essa reserva e buscou a parceria da Universidade do Estado de Santa Catarina para pesquisas científicas com foco na preservação do santuário.

 

A Epagri é uma campeã de troféus nestes 23 anos do Prêmio Expressão, conquistando 14 Ondas Verdes por suas relevantes ações em favor da agropecuária catarinense. Neste case vencedor, ela atua numa das unidades de conservação mais visitadas do Brasil. O Parque Nacional de São Joaquim, com Mata Atlântica, florestas e campos de altitude é um atraente santuário ecológico da biodiversidade. Localiza-se em uma área importante de recarga do Aquífero Guarani, uma das maiores reservas de águas subterrâneas do continente. A Epagri montou uma parceria com a Universidade Federal de Santa Catarina e o Instituto Chico Mendes (ICMbio) para estudar e compreender essa biodiversidade vegetal, suas vulnerabilidades e criar um plano de manejo para essas espécies.

 


Parque Nacional de São Joaquim: santuário da biodiversidade

 

ENERGIA DO FUTURO – Nessas mais de duas décadas, a Editora Expressão retratou o enorme crescimento do setor elétrico na região Sul. A megausina de Itá ainda não existia, e Santa Catarina preocupava-se por produzir apenas 10% da energia que precisava. Hoje as energéticas multiplicaram-se e destacam-se nos rankings dos pesos pesados da economia sulista. E não ficaram nisso. As dezenas de ações socioambientais de companhias como a Baesa, Celesc, Copel, Engie, Enercan, Eletrosul Machadinho e RGE passaram a patrocinar cultura, educação, turismo, parques e reservas ambientais, rios e peixes das comunidades onde atuam. Dos 10 maiores investimentos nos projetos ambientais deste ano, metade são de companhias energéticas.

 

Especialistas consideram os ventos brasileiros entre os melhores do mundo, e o sol é abundante o ano todo. Mais de 100 usinas eólicas foram entregues no ano passado, um dos maiores crescimentos mundiais. A energia eólica já pode abastecer 33 milhões de brasileiros, ou seja, toda a população do Sul. O BRDE é uma das grandes patrocinadoras dessa revolução da energia. Foram 1 bilhão e 400 milhões de reais investidos em projetos de energia sustentável, sendo 800 milhões em 40 projetos catarinenses.

 

A Engie, maior geradora privada de energia do país, com sede em Florianópolis, investe pesado nas energias do futuro, especialmente nas matrizes eólica e solar. Ela coloca a cidade catarinense de Tubarão, em Santa Catarina, na vanguarda tecnológica brasileira na construção de componentes eletrônicos, elétricos e mecânicos para a construção de aerogeradores. E na mesma cidade, com o projeto Cidade Azul, que conquistou o Prêmio Expressão, criou o mais avançado centro de pesquisas de geração solar, analisando quais são as melhores placas fotovoltaicas para cada região brasileira.

 


Usina Cidade Azul da Engie, em Tubarão (SC)

 

A Engie patrocina vários parques ambientais na região Sul, bem como monitora rios e peixes. Seus centros culturais revigoram as pequenas comunidades vizinhas e suas usinas são referência nacional.

 

Um pedaço da energia do futuro pode ser visto em Florianópolis, na sede da Eletrosul. Ela instalou um complexo de geração fotovoltaica, o maior da América Latina, integrado a um edifício. Uma verdadeira vitrine para o setor elétrico brasileiro, capaz de abastecer 540 residências. Suas ações de eficiência energética no edifício-sede renderam à companhia a inédita conquista do Prêmio Expressão de Ecologia.

Fonte: Editora Expressão.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.