27/07/2015 Casan amplia convênio para proteção de matas ciliares na região Oeste

Casan amplia convênio para proteção de matas ciliares na região Oeste

Foto: Gilza Franco: Lajeado São José, em Chapecó.

A Casan renova, nesta terça-feira, 28, convênio de cooperação técnico-financeira com o Consórcio Iberê para o projeto de proteção e recuperação de matas ciliares no Oeste de Santa Catarina. A solenidade será realizada às 14h30min, na Unochapecó.

 

Com valor de R$ 381,6 mil, o novo contrato vai permitir o trabalho em outras 70 propriedades rurais. A parceria que iniciou em 2006 já possibilitou a recuperação de 92 hectares de mata ciliar, com a participação de aproximadamente 300 famílias e o envolvimento de mais de dez mil pessoas.

 

Em 2012, o projeto foi reconhecido pelo Ministério do Meio Ambiente e integrou o livro “Boas Práticas em Educação Ambiental na Agricultura Familiar”. Um novo reconhecimento virá em novembro deste ano com o Selo Verde e o Prêmio Socioambiental Chico Mendes.

 

Recomposição das margens dos mananciais

 

O trabalho é realizado na área de abrangência do Consórcio Iberê, composto por sete municípios inseridos na Bacia Hidrográfica do Rio Chapecó/Irani: São Carlos, Águas de Chapecó, Caxambú do Sul, Planalto Alegre, Guatambú, Chapecó e Cordilheira Alta.

 

Nessa região, predominam pequenas propriedades rurais, em grande parte com uso do solo até as margens dos cursos d'água e acesso livre dos animais. Os produtores são convidados a participar e aderem às ações de forma voluntária. Aqueles que têm interesse, participam de discussões para um diagnóstico sobre os impactos em sua propriedade, trocando ideias sobre formas de restauração e preservação da cobertura vegetal às margens dos rios e nascentes.

 

A partir desse contato é realizado um projeto de restauração para cada propriedade, de acordo com o nível de degradação e suas causas. Depois são iniciadas diferentes ações. Entre elas, a construção de cercas que vão isolar os animais (grande parte dos agricultores trabalha com bovinocultura leiteira) e a produção agrícola da área a ser restaurada às margens dos cursos d'água e nascentes.

 

Os materiais para as cercas são comprados com recursos do convênio com a Casan e repassados aos produtores rurais. A regeneração natural da área é favorecida com essas práticas simples, que permitem também o retorno gradativo da fauna.

 

Aumento da disponibilidade de água, contenção da erosão das margens dos riachos, reaparecimento de fauna local e melhoria do trabalho e dos produtos fabricados nas propriedades são alguns dos benefícios citados por famílias que participam do projeto.

 

“É um trabalho importantíssimo para os mananciais que garantem o abastecimento de água na região e também para a qualidade de vida das famílias”, destaca o diretor-presidente da Casan, Valter José Gallina.

 

São parceiros no projeto sete prefeituras municipais integrantes do Consórcio Iberê, Casan, Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri), Policia Ambiental, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) e Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste (Fundeste). 

Fonte: Companhia Catarinense de Águas e Saneamento - CASAN.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.