07/12/2016 Compostagem: solução ambiental da BRF para destinação de resíduos

Compostagem: solução ambiental da BRF para destinação de resíduos

Fotos: Gabriel Crispim.

Unidades de Videira e Campos Novos contam com uma unidade de compostagem idealizada pela BRF para destinação de 100% de seus resíduos sólidos, que totalizam 105 toneladas por dia.

 

Desconfortável com a destinação dos resíduos orgânicos em geral atrelados ao grande volume e alto custo para disposição em aterro sanitário industrial, a BRF Videira procurou uma empresa parceira para destinar de forma mais nobre seus resíduos industriais orgânicos, com o objetivo de reciclar os nutrientes que os resíduos podem oferecer. A solução encontrada foi o tratamento dos resíduos orgânicos através do processo de compostagem, oportunizando a utilização do composto final como fertilizante, que otimiza a fertilidade do solo e proporciona aumento da produção agrícola com menor custo, sem nenhum impacto ambiental.


Tendo em vista que no estado de Santa Catarina não havia nenhuma empresa especializada para atender a tal demanda, a BRF Videira firmou parceria com o Grupo Megabox, empresa especializada em tratamento de resíduos, para elaborar um projeto de compostagem destinado a resíduos orgânicos industriais. Localizada a 20 quilômetros da sede da empresa, a Megabox já atendia à BRF fazendo o transporte dos resíduos industriais da unidade para o aterro industrial. A BRF se comprometeu em destinar todos os seus resíduos à nova unidade de compostagem da Megabox e foi firmado um contrato, renovado com ajustes anualmente. Através da parceria implementada, o Grupo Megabox ficou encarregado da operacionalização do projeto e teve investimento total de R$ 4 milhões, mas toda a parte técnica foi elaborada pelos profissionais de meio ambiente e de diversas áreas da BRF.


Resíduos sólidos na BRF Videira



 

O projeto foi elaborado contemplando todos os resíduos orgânicos industriais da Unidade de Videira, sendo eles:


- Lodo da Estação de Tratamento de Efluentes (ETE);
- Resíduos da incubação de ovos;
- Resíduos de ração animal, de carnes e de massas;
- Resíduos gerados no restaurante;
- Outros resíduos gerados nos parques fabris da unidade.

 


Esses resíduos totalizam aproximadamente 70 toneladas diariamente nos parques fabris da BRF Videira. Mas a iniciativa também contemplou a Unidade de Campos Novos, que gera mais 35 toneladas de resíduos por dia. Sendo assim, a BRF envia para esse projeto cerca de 105 toneladas por dia, cuja capacidade é de absorver 140 toneladas diariamente. Como resultado, essa unidade de compostagem idealizada pela BRF, que entrou em operação em novembro de 2015, se tornou a única do estado de Santa Catarina com essa capacidade e automatização para fazer compostagem.

 


Fertilizante agrícola




 

A unidade de compostagem utiliza como substrato e fonte de carbono a serragem de madeira oriunda de serrarias e madeireiras da região, em proporções variáveis, conforme a característica e o volume do resíduo a ser tratado. Os resíduos são adicionados às leiras de compostagem, onde o processo de aplicação, revolvimento das leiras, retirada, estocagem e transporte do composto é realizado todo de forma mecânica. São necessários ao menos 90 dias para obter-se a estabilização do composto, permitindo a utilização deste como fertilizante agrícola em solo. Esse tempo pode variar devido às condições climáticas. O insumo é vendido como fertilizante agrícola, que aduba o solo sem prejudicar o meio ambiente. O metro cúbico desse fertilizante é vendido a R$ 30. Fazendo uma estimativa da produção de fertilizante gerada com os resíduos das duas unidades da BRF, é possível obter faturamento mensal de R$ 75 mil e de R$ 9 milhões anualmente. Ou seja, em menos de seis meses o investimento da Megabox para produção da unidade será compensado com a venda do fertilizante, tendo esse faturamento permanente.

 


Adubo organomineral




 

Atualmente a BRF trabalha na elaboração de um projeto para agregar ainda mais valor ao composto, através da transformação em adubo organomineral. Isso possibilitará o transporte a maiores distâncias, como ao Centro -Oeste do Brasil, onde há grande demanda por fertilizantes. O valor de mercado do novo adubo organomineral irá permitir uma evolução ainda maior desse projeto, pois os materiais tratados atualmente como resíduos de descarte, que têm custo mensal à BRF, passarão a ser matéria-prima para outro produto sustentável, com alto valor de venda e muito maior valor agregado ao insumo final. Com a implementação dessa iniciativa, estima-se que futuramente a BRF não tenha mais custos na destinação dos resíduos.

 


Ganho ambiental inquestionável




 

Com essa alternativa implantada, 105 toneladas de resíduos orgânicos industriais gerados nas unidades de Videira e Campos Novos da BRF, que anteriormente eram destinados a aterro sanitário industrial todos os dias, agora são destinadas ao processo de compostagem, permitindo a reciclagem de 100% desse material. Sem contar o tempo dedicado a pesquisa e implementação do projeto de compostagem, a BRF não investiu diretamente no projeto e continuou tendo o mesmo custo por tonelada destinada: R$ 131,51. Porém o ganho ambiental é inquestionável e incalculável, frente à destinação dada aos resíduos anteriormente.

 


Circuito fechado de produção

 


 

Essa iniciativa não só atende à Política Nacional de Resíduos Sólidos para prevenir a saturação dos aterros sanitários e o impacto ambiental que eles causam, como reduz o consumo e a extração de recursos naturais. A reciclagem de nutrientes contidos nos resíduos, através do processo de compostagem, permite a BRF fazer um circuito fechado de produção. Através do composto fertilizante, os produtores associados a BRF podem produzir grãos, que são utilizados para a alimentação animal, que servem como matéria-prima para a indústria de alimentos. Os resíduos da indústria novamente são reciclados através da compostagem, formando o circuito fechado e contínuo de produção.

 


Resíduos sólidos em números na BRF

 

- Resíduos sólidos gerados por dia na BRF Videira totalizam 70 toneladas;
- Resíduos sólidos gerados por dia na BRF Campos Novos totalizam 35 toneladas;
- Resíduos gerados nas duas unidades da BRF totalizam 105 toneladas por dia;
- R$ 4 milhões foram investidos pela Megabox na criação da unidade de compostagem;
- Sistema de tratamento de resíduos tem capacidade para absorver 140 toneladas/dia;
- Reciclagem de 100% dos resíduos da BRF (Videira e Campos Novos);
- 105 toneladas de resíduos são destinados ao processo de compostagem diariamente;
- A BRF investe R$ 131,51 por tonelada de resíduo reciclado, tendo um custo de R$ 13.808,55 (diário) e R$ 358.995,60 (mensal);
- 2,5 mil m³ de composto são produzidos e vendidos como fertilizante mensalmente;
- Cada m³ de fertilizante é vendido a R$ 30, possibilitando um faturamento de R$ 75 mil (mensal) e de R$ 9 milhões (anual);
- Em 2014, 50,6% do total de resíduos gerados em todas as unidades da BRF foram destinados à compostagem.

Fonte: Editora Expressão com informações de Tiago Rech, Engenheiro Agronomo da BRF Videira.




Últimas notícias
Envio de Matérias
Portfólio editorial
Cadastro
Siga-nos no facebook

ENDEREÇO

Caixa Postal 21725
CEP 88058-970
Florianópolis - SC

CONTATO

expressao@expressao.com.br
Fone: (48) 3222-9000

Facebook Editora Expressão Twitter Editora Expressão SIGA-NOS NAS REDES SOCIAIS


Copyright © 2014 Editora Expressão. Todos os direitos reservados.